Grupo Vila completa 65 anos de tradição e pioneirismo


Dedicação, tradição e pioneirismo são as palavras que mais marcam os 65 anos de atuação do Grupo Vila, data que está sendo celebrada amanhã, 14 de setembro.  A empresa, que é uma das três primeiras no segmento funerário no Nordeste, está presente nos estados do Rio Grande do Norte, Paraíba e Pernambuco, sempre com a missão de prestar serviços priorizando a qualidade e o respeito, buscando levar tranquilidade, conforto e dignidade aos seus clientes. 

A vontade de crescer e a busca em fazer tudo com perfeição são apontadas pelo diretor do Grupo Vila, Eduardo Vila, como os principais motivos para essa trajetória de sucesso. "Remeto esse crescimento o constante investimento que sempre fazemos na empresa e a busca em fazer a coisa certa e bem feita. Não é comum encontrar empreendimentos funerários com a qualidade do nosso. Nós nos destacamos pela atuação e excelência dos nossos serviços e somos conhecidos nacionalmente no setor funerário", afirma. 

Eduardo Vila conta que a expansão da empresa se iniciou com a construção do Morada da Paz em Natal, que completará 20 anos em novembro, e perdura devido ao diferencial criado no atendimento de qualidade para com os clientes. "O Morada da Paz foi nosso grande salto e o sucesso do empreendimento foi o que alavancou todo desenvolvimento que temos experimentado nesses vinte anos. Com ele ganhamos notoriedade como um prestador de serviços funerários de excelente qualidade. Sempre digo que toda empresa tem pontos fortes e pontos fracos. Mas que o nosso diferencial está em nós acertarmos mais do que erramos", reitera. 

História repleta de tradição e inovação 

Fundada em 1948, a empresa familiar iniciou-se no ramo funerário com Aurino Vila que inaugurou a Casa Mortuária São Francisco das Chagas, no Alecrim, bairro onde a empresa está instalada até hoje e onde se tornou uma das mais tradicionais do ramo no Estado. Com o falecimento do fundador, em 1965, os filhos (Aurino Filho, Magno e Nilo Vila) assumiram os negócios e deram início a uma nova fase ao apostar na diversificação e inovaçãodos serviços. Alguns anos depois/posteriormente Eduardo Vila juntou-se aos irmãos no projeto Morada da PazHoje em dia, a diretoria é formada por Magno, Nilo e Eduardo Vila. 

Ao longo do tempo novas funerárias e centrais de velório surgiram. Na década de 90 foram inaugurados os primeiros cemitérios-parque da cidade - Morada da Paz, em Emaús, e Parque da Passagem, em Extremoz.  Ambos marcaram um novo conceito desse tipo de serviço em Natal e estão entre os mais modernos e arrojados cemitérios do Nordeste. 

Uma das iniciativas mais importantes da empresa foi a criação do Plano Funerário Sempre (na época Safra), em 94, serviço que mostra a importância de se planejar e como isso pode ser sinônimo de tranquilidade para a família que perde um ente querido. Hoje o Sempre possui clientes ativos em mais de 170 cidades do país e mais de 600 mil vidas protegidas. 

Quando completou meio século, em 1998, o Grupo Vila inaugurou o Centro São José.  A unidade é reconhecida no mercado como uma das melhores do Brasil, além de ser uma das poucas do Nordeste projetada para ser um centro funerário com a estrutura necessária para cumprir todas as etapas de um velório. 

Em 2003, o Grupo Vila passa a atuar em Pernambuco, levando para o estado um conceito diferenciado de setor funerário, co
m a instalação do Cemitério Morada da Paz,  localizado em Paulista, onde também passou a oferecer o serviço de cremação, em 2009. Na Paraíba, a empresa chegou em 2007, primeiro em Campina Grande e, no ano seguinte, em João Pessoa, com o Complexo Funerário Morada da Paz, que funciona nos padrões do Centro São José, e onde também está instalado o Sempre João Pessoa. 

Tecnologia e cuidado 

Boa parte do investimento feito pelo Grupo Vila em seus serviços é voltado para o uso de ferramentas tecnológicas e inovadoras que proporcionaram agilidade, comodidade, economia e, principalmente, um melhor atendimento aos clientes. Entre algumas dessas ferramentas podemos citar: velório virtual, obituário online, sistema de localização de jazigos, mural de homenagens no site da empresa, floricultura online, catálogo virtual e ainda a utilização das principais redes sociais. O Velório Virtual é um serviço implantado no Brasil de forma inédita pelo Grupo Vila, em 2001. 

Muita atenção também é dada aos detalhes, que muitas vezes fazem toda diferença, com serviços como: Relicário, caixa depositada embaixo da lápide onde podem ser guardados objetos pessoais e que lembrem o ente querido; cortejo de luxo com o Cadillac Funeral modelo SRX; missa de homenagem de data de falecimento; Árvore da Vida, serviço que utiliza as cinzas para o plantio de uma muda nativa dentro do terreno do cemitério, onde a família poderá depositar quantas cinzas desejar, transformando o local em uma espécie de árvore familiar; Jardins Familiares (serviço implantado por enquanto apenas em Pernambuco) que disponibiliza uma área privada para sepultamento; além de tantos outros serviços oferecidos pelo Grupo. 

Responsabilidade social 

Como toda grande empresa, a responsabilidade social é uma constante entre as políticas da empresa, que tem suas ações o resgate e o incentivo a cultura. Dentro da campanha "Lembrar é um Gesto de Amor", o Grupo Vila tem direcionado recursos, via leis de incentivo, para fomentar e resgatar a cultura. "Buscamos ser socialmente responsáveis sendo úteis a sociedade, não só prestando o serviço a que nos propomos, mas buscando resgatar a nossa cultura e promover o bem estar da população com projetos de qualidade que mostram ao público a maneira de ser da empresa", relata Eduardo Vila. 

Dentre os projetos patrocinados pelo Grupo Vila está o lançamento do documentário sobre o bairro do Alecrim - "Cais do Sertão", realizado no ano passado, e o resgate da obra do maestro Tonheca Dantas com o lançamento de um encarte que terá músicas, partituras e a biografia do artista e que será lançado até o final do ano. 

Outra ação de responsabilidade social é a manutenção da sala de vacinação do Hospital Varela Santiago, que possui as principais vacinas e participa de todas as campanhas realizadas pelo Ministério da Saúde. 

Investimento nas pessoas 

O Grupo Vila emprega nos três estados em que atua cerca de oitocentos colaboradores treinados e capacitados constantemente no intuito de disponibilizar um serviço excelência aos clientes. Tanto que muitos funcionários formam carreira dentro da empresa devido ao esforço, qualificação e confiança depositada neles. Um desses funcionários é o gerente do Plano Sempre, Lúcio Telles,  32 anos, que começou na empresa em 2002 como atendente funerário e tanatopraxista. "Entrei na empresa com 21 anos convidado por um dos diretores, o Nilo Vila, que queria mudar o perfil de atendente funerário", conta. 

Em três anos e meio de empresa, Telles passou a ser coordenador do Centro São José e, em 2007, surgiu a oportunidade de ocupar o cargo de gerente de funerárias, função que exerceu até este ano, quando foi promovido a gerente do Plano Sempre. Durante todas essas etapas Telles se formou em pedagogia e realizou várias cursos na área de liderança e gestão. Atualmente está cursando MBA em Gestão de Negócios, na Fundação Getúlio Vargas. "Sou muito grato ao Grupo Vila pela minha formação profissional e pessoal, pois a maior parte dessas qualificações foram custeadas por eles. Eu entrei com um currículo e se hoje eu saísse daqui seria com uma formação de líder e gestor, conhecimentos conquistados aqui", disse. 

Telles diz que aprendeu muito trabalhando no setor funerário e que é apaixonado pelo que faz ao ter como exemplo o comprometimento e o respeito que começam com os gestores da empresa. "Descobri um maior amadurecimento como pessoa e como profissional. Lidar com o sentimento da perda, mesmo que das outras pessoas, nos faz reavaliar a forma como vemos o outro e a nós mesmos. Acredito que os valores de uma empresa definem o que ela é e são formados pelos valores das pessoas que fazem parte dela. Aqui temos um nível de compromisso e respeito muito grande e os valores transmitidos ao público externo são os mesmos vivenciados pelo público interno. Sempre lembro de uma citação que fiz na minha monografia, inspirada no Grupo Vila, que questionava se existe uma pedagogia para a morte numa cultura como a Ocidental, que não aceita a perda. Mas vejo que sim, e a prova são as pesquisas com nossos clientes, nas quais encontramos um nível de aceitação acima dos 90%, ou seja, as pessoas conseguem enxergar qualidade no nosso atendimento, mesmo numa cultura avessa à morte". 

ASSESSORIA

Editor

Autor & Editor

Somos a Agência de Notícias que há mais de uma década traz as principais Notícias do Rio Grande do Norte, Brasil e Mundo

0 comentários:

Postar um comentário

 
biz.