Pinterest

Advertise

Notícias do Rio Grande do Norte e Mundo

Principal

Principal

Featured

About me

10 Lorem Ipsum is simply dummy text of the printing and typesetting industry. Lorem Ipsum has been the industry's standard dummy text.

Tel: +01 19 9876-54321

Email: contact@mail.com

Popular Posts

About Me

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Other News

World News

NOTÍCIAS DO RN - Rio Grande do Norte
Tecnologia do Blogger.

Comments

Featured

Facebook

Blog Archive

Pesquisar este blog

Follow Us on Facebook

Slide Show

Facebook

Featured Posts

Canal Diário Potiguar

Canal Diário Potiguar

O Diário Potiguar é especializado na cobertura de eventos. Para contratar nossa equipe envie e-mail para: editoriasdiario@gmail.com

Technology

3/Technology/small-col-left

Sports

3/Sports/small-col-right

Header Ads

New Topics

Tags

#FestadoBoi2011 Acari Açu Administração Advocacia Afonso Bezerra Agência de Noticias Agricultura Água Alcaçuz Alerta Alexandria Alimentação Alto do Rodrigues América Angicos Anúncios Apagão Apodi Areia Branca Arena Arês Argentina Arquitetura Artesanato Assembleia Legislativa Assu Audiência Automobilismo Automóveis Baía Formosa Baraúna Barcelona Bastidores Biologia Blog Blogs do RN Boa Saúde Bodó Bom Jesus Bombeiros Brasil Brasília Brejinho Busca Caern Caiçara do Rio do Norte Caicó Câmara Campestre Campo Grande Campo Redondo Canguaretama Caraúbas Carnatal Carnatal 2011 Carnaúba dos Dantas Carnaubais Carnaval CARNAVAL 2009 Carnaval 2010 Carnaval 2011 Carros Ceará Mirim Charge Chuvas Cidadania Cidadania / Lazer CIDADANIA E SOCIAL cidade verde Cidades Ciência Cinema Circo da Folia Cirquinho Clima CMN comércio Comperve Concessionárias Concursos Conquista Contabilidade Contato Copa Copa do Mundo Corrupção Cosern COTIDIANO crea Cruzeta Culinária Cultura Currais Novos Curso Datas comemorativas Debate Ao Vivo Delação Denúncia Desenvolvimento Destaque Diário Potiguar DIREITO Diversão e cidadania ECONOMIA Educação eleções 2008 eleições eleições 2008 Eleições 2012 Eloi de Souza Emprego Empresas ENEM Engenharia Enquetes entidades ENTRETENIMENTO/ CULTURA Entrevista Esporte Estado estradas evento Eventos Eventos. EXAME Executivo Expediente Extremoz F1 Famosos Featured FeedNoticias Felipe Guerra FEMURN Férias FESTA Florânia Fotos Fruticultura Frutuoso Gomes futebol Galinhos Gestão Pública Globo Goianinha gove Governador Dix Sept Rosado Governo Greve Grossos Guamaré Guia do RN Habitação HISTÓRIA DO RN Homenagem Humor Idoso Ielmo Marinho Imóveis Imprensa INFRA ESTRUTURA Integris Internacional Internet Ipanguaçu Itajá Itaú Jacumã Janduís Jardim de Piranhas Jardim do Seridó Jardin de Piranhas João Câmara Jornalismo José da Penha Jucurutu Judiciário Justiça Kart Lagoa dos Velhos Lagoa Nova Lajes Lajes Pintadas Lançamento Lazer LEGISLATIVO Lei Seca Leilão Loteria Lucrécia Luís Gomes Luto Macaíba Macau Major Sales Martins MegaSena Meio Ambiente Mentira Mercado Messias Targino Mídia Ministério Público Mobilização Moda Montanhas Monte Alegre Mossoró Mulher Multimídia Mundo Municípios Musica Música Natal Negócios Nisia Floresta Nísia Floresta NOTA NOTÍCIAS Notícias do RN NOTICIAS RN noticiasdorn Nova Cruz Nova Parnamirim OAB oeste OLIMPÍADAS 2008 Ongs Opinião Oportunidade Ouro Branco Outubro Rosa Parabéns Paraú Parazinho Parceiros Parelhas Parnamirim Passa e Fica Patu Pau dos Ferros Pedra Preta Pedro Avalino Pedro Velho Pendências Pesar Pipa Plantão Poço Branco Polícia Política Política do RN Porto do Mangue Presidente Previsão Principal PROMOÇÃO Protesto Psicologia Publicidade Pureza Quem Somos Rádio Rafael Fernandes Rafael Godeiro Recursos Humanos Regional Religião Repórter Celular Réveillon Riacho da Cruz Rio do Fogo RN RN Política Rodolfo Fernandes Rui Barbosa Ruy Barbosa Saindo Samu Santa Cruz Santana do Matos Santo Antônio São Bento do Norte São Fernando São Gonçalo São João São João do Sabugi São José de Mipibu São José do Seridó São Miguel São Miguel do Gostoso São Paulo do Potengi São Tomé São Vicente SAÚDE Sebrae Seca Segurança Semana Santa Senado Seridó Serra de São Bento Serra do Mel Serrinha dos Pintos Severiano Melo Show Sisu Site Sitio Novo social Sociedade Solidariedade Sugestão Taipu Tangará Teatro Tecnologia Telefonia TelexFree Tempo Tenente Laurentino Tibau Tibau do Sul Timbaúba dos Batistas Touros Tragédia Trairi Transito Trânsito Transporte Triunfo Potiguar Turismo TV Twitter UERN UFRN Umarizal unicef Upanema Utilidade Pública Veículos Vendas Venezuela Venha-Ver Vera Cruz Verão vestibular Viçosa Vila Flor Vlog Zona Norte Zumbi

Hot News

Ads

Tag

Notícias do Rio Grande do Norte, Brasil e Mundo

Videos

recent comments

Diário Potiguar

Popular Posts

Notícias do RN

Polícia

Video News

Editoria

O que estudo de anúncios pagos no Facebook revela sobre quem 'curte' Bolsonaro, Doria e outros políticos

GETTY IMAGES
Ferramenta criada por pesquisadores brasileiros mostra nichos de público criado pelo Facebook


O que os donos de páginas no Facebook descobrem quando pagam por anúncios para atingir um determinado público na rede?

O número de pessoas que potencialmente atingiriam, por exemplo, se mirassem as mulheres que curtem o Luciano Huck, têm entre 18 e 24 anos e moram no Rio de Janeiro: cerca de 170 mil pessoas.

O número não traduz exatamente a quantidade de pessoas que se encaixam exclusivamente nessas classificações, mas chega muito próximo disso. O Facebook leva em conta, às vezes, outros sinais de que pessoas possam gostar de Luciano Huck, por exemplo, ou que estejam vivendo no Rio de Janeiro. Elementos como curtidas em páginas relacionadas, o que as pessoas compartilham publicamente nas próprias timelines, os aplicativos que usam, os anúncios com os quais interagem, seus dados demográficos e o dispositivo móvel que usam podem dar pistas de que pertencem a determinada categoria.

Alvo de recentes denúncias e escândalos envolvendo o compartilhamento indevido de dados de usuários, o Facebook se tornou uma importante ferramenta de marketing. A rede permite aos donos de páginas de lojas, restaurantes, marcas de roupa e até políticos, entre outros, direcionar propaganda categorizando grupos específicos, o que aumenta a eficiência dos anúncios.

Cruzamento entre critérios como Rio de Janeiro, mulheres, 18 a 24 anos e Luciano Huck resulta em um alcance potencial de 170 mil pessoas

Com o objetivo de prover transparência ao sistema de anúncios do Facebook, o pesquisador Fabrício Benevenuto, professor do curso de Ciência da Computação da UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais), e um grupo de alunos da universidade criaram um sistema que mostra o público que seria alcançado em uma propaganda segundo estimativa do próprio Facebook.

Para traçar esse perfil demográfico, os pesquisadores fizeram de conta que estavam criando um anúncio para uma determinada página e colheram o resultado de "alcance do público" oferecido pelo Facebook. Automatizaram essa ação - ou seja, a replicaram várias vezes com a ajuda do computador- e, assim, traçaram vários perfis de determinados grupos.

Por meio da categorização, foi possível aos pesquisadores descobrir que 72% das curtidas de Jair Bolsonaro no Facebook, ou de conversas relacionadas ao deputado, são de homens - que representam 47% da população brasileira na rede, segundo o alcance previsto pelo Facebook. A proporção é maior que a de Geraldo Alckmin, Lula, Marina Silva e Joaquim Barbosa (todos por volta de 50%).

Outra descoberta: João Doria é favorito entre as pessoas casadas - 54% dos que curtem sua página estão nesse tipo de relacionamento com outras pessoas, sendo que 39% da população brasileira no Facebook é associada a esse atributo.

Ou então: 54% dos fãs da página de Joaquim Barbosa têm mais de 35 anos. Ou ainda: Alckmin só faz sucesso praticamente no Sudeste (75% das pessoas alcançadas ligadas a ele são dessa região, enquanto o número cai para 47,5% na população do Brasil no Facebook).

A ideia do grupo da UFMG é detectar possíveis distorções nesta rede social e em outras que possam atrapalhar o processo democrático no pleito brasileiro de 2018. O resultado pode ser acessado na página "Eleições Sem Fake" - o sistema com o levantamento dos perfis demográficos dos presidenciáveis brasileiros é um entre vários do projeto.
Sistema mostra quantidade de curtidas ou conversas calculadas pelo Facebook como ligadas a Bolsonaro, em comparação com restante da população | Imagem: Captura de tela Eleições Sem Fake/Reprodução

O Facebook tem estado sob intenso escrutínio público desde a revelação de que uma empresa de consultoria política chamada Cambridge Analytica obteve dados pessoais de usuários no Facebook, categorizou-os em perfis psicológicos de acordo com o resultado de um teste de personalidade feito por parte dos usuários e usou essas informações para direcionar anúncios políticos nas eleições americanas de 2016. Segundo o Facebook, que vem revendo suas políticas de privacidade, cerca de 87 milhões de pessoas no mundo podem ter tido seus dados obtidos pela consultoria indevidamente.

Anúncios direcionados

De qualquer forma, a rede social ganha dinheiro vendendo, entre outras coisas, a possibilidade de direcionar anúncios a grupos demográficos específicos.

"Amigos de homens que fazem aniversário em 7 a 30 dias", pessoas que acessam o Facebook "via iPad 2", "amigos de pessoas que ficaram noivas recentemente" ou as próprias "pessoas que ficaram noivas recentemente", "pessoas que preferem produtos de valor alto no Brasil", pessoas que têm interesse em "Power Rangers", "J.K. Rowling", ou que têm nível de renda de "R$ 5.001 a R$ 6.000", pessoas que gostam "jogos de tiro em 1ª pessoa" (uma categoria de videogame) - é possível mirar propagandas no Facebook para cada um desses grupos, entre muitos outros.Facebook possibilita propaganda direcionada a grupos com interesses e comportamentos distintos, como "amigos de pessoas que ficaram noivas recentemente", entre outros

Essa função está liberada nas eleições de 2018, segundo a legislação brasileira. Na prática, significa que políticos e partidos políticos podem fazer propaganda mirando determinados grupos de pessoas.

Ou seja, um pré-candidato pode criar anúncios específicos para quem tem interesse, por exemplo, no apresentador Luciano Huck; ou poderia mirar em homens de 18 a 25 anos que moram em Belo Horizonte, e por aí vai.

Com o sistema, aliás, o pesquisador da UFMG descobriu que pessoas interessadas em Ciro Gomes, por exemplo, não podem ser miradas, porque não existe uma categoria de pessoas com "interesse" no político, como há para outros, imprescindível para direcionar anúncios para pessoas interessadas neles.

Ou seja, o próprio político não poderia fazer propaganda direcionada para quem possivelmente tivesse simpatia por ele; nem um rival poderia tentar abocanhar seus eleitores por meio do recurso.

"Isso é estranho. A legislação brasileira contempla a possibilidade de 'impulsionamento'", diz Benevenuto - "impulsionar" um conteúdo é promovê-lo nas timelines de grupos específicos de pessoas. "Porém, o Facebook não permite enviar propagandas para as pessoas que estão interessadas em alguns dos candidatos. Isso coloca um viés nessa plataforma. O Facebook deveria olhar quem são os candidatos e colocar todos ou não colocar nenhum. As regras do Facebook não têm um padrão transparente e toda uma eleição pode ser influenciada se eles não tiverem um cuidado", diz Benevenuto.

Em resposta ao questionamento da BBC Brasil sobre qual é o critério para definir "interesses" e por que Ciro Gomes não está entre eles, o Facebook respondeu: "A categoria de interesses surge a partir de uma série de sinais lidos pela plataforma do Facebook, e não definidos manualmente. No entanto, é possível selecionar outros tipos de dados para alcançar públicos de interesse na plataforma".

GETTY IMAGESImage captionCom sistema desenvolvido para o Facebook, pesquisador descobriu que anúncios não podem ser mirados em pessoas interessadas em Ciro Gomes, diferentemente de outros pré-candidatos, gerando uma distorção

Banco de anúncios

Para monitorar esses anúncios direcionados, Benevenuto está criando um banco público de todos os anúncios - algo que o próprio Facebook diz querer fazer até junho deste ano na plataforma.

"A ideia é prover transparência sobre os anúncios que as pessoas estão vendo e por quê. Se uma empresa ou partido político fizer uma propaganda massiva às vésperas da eleição, isso apareceria no nosso sistema", explica Benevenuto.

Ele criou um plug-in, um programa que, quando instalado por diferentes usuários, se conecta ao navegador de internet Chrome ou Firefox, para "colher" todos os anúncios que aparecem nas timelines das pessoas e também as justificativas que o Facebook dá para explicar por que os anúncios estão sendo exibidos às pessoas. Segundo o pesquisador, o programa não coleta informações como amigos, fotos, curtidas e compartilhamentos do usuário.

A ideia é que, quanto mais pessoas instalarem o programa, mais propagandas sejam monitoradas. Cerca de 30 mil propagandas já foram coletadas - há anúncios do MBL direcionados a pessoas de Campinas, por exemplo, convidando para um protesto contra o Lula na cidade, anúncios da deputada e candidata presidencial Manuela D'Ávila procurando atingir pessoas interessadas em "movimentos sociais", ou de um promotor de Justiça aposentado, Joaquim Miranda, querendo chegar à timeline de pessoas interessadas no Bolsonaro.

Chris Wylie, ex-funcionário da Cambridge Analytica, defende anúncios personalizados, mas transparentes | Jeff Overs/BBC

A transparência para anúncios direcionados no Facebook foi defendida na semana passada em Londres por Christopher Wylie, ex-diretor de pesquisas da Cambridge Analytica que delatou as práticas da empresa à imprensa. Em uma conferência com a jornalista do The Guardian que publicou uma das primeiras reportagens sobre a consultoria política e o Facebook no Reino Unido, Wylie disse que os anúncios direcionados "erodem o fórum público e impedem o escrutínio da mídia e da sociedade".

Ele disse não ver problemas com os anúncios direcionados em si, mas no fato de que não se pode fiscalizá-los. "Os anúncios nem estão arquivados em algum lugar. Se a pessoa que os viu quiser vê-los outra vez, não pode. Jornalistas e pesquisadores também não podem vê-los. Só o Facebook os tem."

Nos Estados Unidos, iniciativa semelhante à da UFMG está sendo levada a cabo pela ProPublica, organização de jornalismo independente. Chamado de "Political Ad Collector", o plug-in também colhe anúncios e as justificativas do Facebook para estarem sendo exibidos. "Anúncios negativos em jornais, rádio e na televisão são monitorados de perto porque historicamente influenciaram eleições (...) Mas, embora seja a maior rede social do mundo, o que acontece no Facebook fica no Facebook", diz o texto da ProPublica que apresenta a ferramenta.

O Facebook diz que planeja lançar em junho no mundo todo, inclusive no Brasil, exatamente "um arquivo de anúncios políticos para pesquisa por todo o público". "O espaço deve conter todos os conteúdos das Páginas identificados como 'Anúncios Políticos', mostrando a imagem e o texto do anúncio, além de informações adicionais, como o valor gasto e as informações demográficas do público-alvo de cada anúncio."

"No Canadá, estamos testando um novo recurso chamado 'exibir anúncios', que permite visualizar todos os anúncios que estão sendo feitos por uma Página, mesmo que eles não tenham aparecido em seu Feed de Notícias. Isso se aplica a todas as Páginas de anunciantes no Facebook, não apenas a Páginas que exibem anúncios políticos."

Os anúncios políticos, segundo o Facebook, serão identificados como tal em seu canto superior esquerdo. Além disso, qualquer pessoa que queira exibir anúncios relacionados a política terão de ser autorizados pelo Facebook, confirmando sua identidade e localização.

"Também estamos investindo em inteligência artificial e adicionando mais pessoas para ajudar a encontrar anunciantes que deveriam ter passado pelo processo de autorização, mas que não o fizeram. Sabemos que não conseguiremos identificar todos os anúncios que deveriam ser identificados, por isso incentivamos nossa comunidade a denunciar anúncios políticos sem identificação."

E como a Justiça Eleitoral fiscalizará esses anúncios? Para Carlos Neves, advogado eleitoral e autor do livro "Propaganda Eleitoral e o princípio de Liberdade de Expressão Política" (2012), o "acesso" aos anúncios veiculados não precisa passar pelo Estado. "O Estado deve atuar quando provocado. Quem receber uma propaganda e discordar do conteúdo é que poderá denunciar ao ofendido, ao Ministério Público ou nas plataformas da Justiça eleitoral", afirma. "Acho que é muito interessante um controle social das pautas, políticas públicas e do que é dito pelos políticos. Mas não é matéria legislativa, é matéria de controle social. Não é função do Estado pegar essas contradições, é função da imprensa e da coletividade."

Questionado, o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) disse que não cabe ao órgão "a tarefa de monitorar anúncios em qualquer rede social ou veículo de comunicação". "A Justiça Eleitoral organiza, fiscaliza e realiza as eleições regulamentando o processo eleitoral, examinando as contas de partidos e candidatos em campanhas, controlando o cumprimento da legislação pertinente em período eleitoral e julgando os processos relacionados com as eleições."

BBC


source http://www.diariopotiguar.com.br/2018/04/o-que-estudo-de-anuncios-pagos-no.html

Agência

Somos a Agência de Notícias que há mais de uma década traz as principais Notícias do Rio Grande do Norte, Brasil e Mundo.

Nenhum comentário:

Deixe o seu comentário

Jornais do RN

Arquivo de Notícias