Acordo: Nélter cede lugar para suplente na Assembleia Legislativa

Dep.Estadual Nelter Queiroz - Foto: DNOnline
O deputado estadual Nélter Queiroz (PMDB) entregou à Mesa Diretora requerimento com pedido de licença do mandado. De acordo com o documento o deputado deve retornar à Casa em fevereiro de 2013. O advogado Kelps Lima, primeiro suplente da coligação e filiado ao PR, ocupará a cadeira de Nélter Queiroz durante esse período.

O deputado alegou motivos pessoais para a medida.

“É um momento difícil na minha vida. Irei me ausentar do Rio Grande do Norte por questões pessoais. Conversei com minha família, amigos e com assessoria jurídica e decidimos que chegou a hora. Cumpri com meu dever político e deixo o plenário certo que volto a partir de fevereiro de 2013 para ficar mais a vontade. Não me sinto a vontade sabendo que enquanto a população sofre com falta de segurança eu ando escoltado pela Polícia Militar”, anunciou.

Nélter lembrou que o pai cumpriu quatro mandatos e ele está no sexto mandato. Portanto 40 anos da família Queiroz representando Jucurutu e a região Seridó no Legislativo. “Meu estilo não é de se calar, de recuar. Por isso faço um pedido aos meus colegas deputados. Ajudem a bandidagem a não vencer”, afirmou.

Com informações da AL.

Nota do Blog – Prego batido e ponta virada. O desembarque de Kelps Lima na AL faz parte de um acordo de campanha, firmado com base em interesses políticos que envolveram a campanha municipal do Apodi.

O médico e então candidato a prefeito (ex-prefeito também) José Pinheiro (PR) retirou sua candidatura, supreendendo a meio-mundo, para apoiar a adversária e prefeita Gorete Pinto (PMDB) à reeleição .

A informação corrente, de bastidores, é que a costura política envolveria a assunção de seu genro Kelps à AL.

Só faltou combinar com o povo de Apodi a reeleição de Gorete. O vencedor, graças também à postura de Pinheiro, foi o professor Flaviano Monteiro (PCdoB).

Em 2010, o mesmo Deputado acusou um colega de que também pedirá afastamento (renúncia) da AL alegando, teambém motivos pessoais, na época o Queiroz chegou a questionar as razões para o ato do colega: "Talvez haja um acordo com o suplente em troca de apoio eleitoral". 

Resta saber se o ditado: com Ferro fere, com ferro será ferido,  será utilizado no presente caso. 
  
Com informações do Herzog

NOTICIAS DO RN

Autor & Editor

Somos a Agência de Notícias que há mais de uma década traz as principais Notícias do Rio Grande do Norte, Brasil e Mundo

0 comentários:

Postar um comentário

 
biz.