Fim da Greve da UERN


Após reunião realizada na manhã desta sexta-feira (29), em Mossoró, chegou ao fim a greve dos professores e funcionários da Universidade Estadual do Rio Grande do Norte (UERN). A proposta encaminhada pelo Governo do RN – através da Secretaria de Estado da Administração e Recursos Humanos (SEARH) – ao presidente da Associação dos Docentes da UERN (ADUERN), prof. Flaubert Fernandes Torquato Lopes, e à presidente do Sindicato dos Técnicos Administrativos da UERN (SINTAUERN), Rita de Cássia Vidal de Negreiros, concede já no mês de julho, 3,5% de aumento – retroagindo seus efeitos financeiros a junho – e 5% em setembro deste ano.
Além disso, está garantido reajuste de 9% a serem pagos em maio de 2013 e outro aumento de 10% a serem pagos em maio de 2014. A proposta aceita foi elaborada em comum acordo, entre o Governo do Estado, através da SEARH, ADUERN e SINTAUERN, em reunião realizada na quinta-feira, 28 de junho de 2012.

Após o anúncio, a governadora Rosalba Ciarlini disse que foram dois meses difíceis e que a greve é passado. "Foi difícil, pois estava quase chegando às vias de radicalismo, mas tudo terminou bem e vamos trabalhar agora para recuperar o tempo que os estudantes ficaram sem atividades", comentou.
Sobre a proposta apresentada à categoria, a governadora Rosalba Ciarlini informou que foi feito todo um planejamento para que os servidores e técnicos da UERN tenham seus salários corrigidos até 2014. "Isso é um compromisso que firmamos e espero não discutir essa questão até 2014. O investimento que é feito na UERN representa muito às finanças do Estado", disse.
Agora, segundo a governadora, a Universidade deve agilizar a proposta que ela solicitou no ano passado, a qual versa sobre a autonomia financeira da Instituição de Ensino Superior (IES). "Espero que a UERN nos envie a proposta que solicitamos no ano passado, pois com a autonomia financeira, a Universidade não precisa buscar o Estado para resolver essas questões, pois vai gerir seus próprios recursos", disse a governadora Rosalba Ciarlini, acrescentando: "é importante remunerar bem o servidor, mas temos que seguir a lei e dar suporte às ações que precisam ser realizadas. Fico feliz que a greve tenha acabado e a Universidade, com bom senso, vai elaborar um calendário para recuperar o tempo perdido."
A greve dos professores e servidores da UERN iniciou-se no dia 03 de maio deste ano. Em dois meses de paralisação, o calendário letivo já está prejudicado. Segundo o reitor da UERN, Milton Marques, se as aulas forem retomadas já na próxima segunda-feira (2), será possível se elaborar um novo cronograma. "As aulas, iniciando no começo de julho, a conclusão do primeiro semestre de 2012 será em dezembro e o segundo semestre se iniciará no início de 2013", explicou. O reitor disse ainda que espera recuperar o calendário pedagógico em pelo menos quatro anos.
Com relação ao Vestibular 2013, que estava previsto para ser realizado em novembro próximo, Milton Marques informou que, por causa da greve, o concurso será realizado no início de 2013.
 FOTOS: Carlos Costa

NOTICIAS DO RN

Autor & Editor

Somos a Agência de Notícias que há mais de uma década traz as principais Notícias do Rio Grande do Norte, Brasil e Mundo

1 comentários:

  1. Sabemos da importância de se remunerar o educador BEM para que se sinta bem e desenvolva uma boa aula e forme profissionais de qualidade para atender as exigências do mercado de trabalho, este que,com a falta de compromisso de nossos governantes vai durar mais um ano para frente na vida de cada universitário. Será que os politicos estão realmente se importando com a educaçlão desse país mesmo? Ou a educação não passa somente de propagandas bonitas na TV. Os professores das escolas públicas ainda sofrem com a falta de responsabilidade dos prefeitos que ainda não cumrpiram a Lei Federal 11.738 que também reajusta os saláriuos dos professores das escolas públicas. Que país é esse que se diz que está crescendo enquanto as próprias Leis não são cumpridas? Algo deve ser feito para este país tenha uma cara de país de verdade!

    ResponderExcluir

 
biz.