PF vê indícios de que Cachoeira interceptou emails de deputado

Investigação da Polícia Federal descobriu indícios de que a quadrilha do bicheiro Carlinhos Cachoeira interceptou emails do deputado federal Fernando Francischini (PSDB-PR). Cachoeira foi preso pela PF em fevereiro, durante a Operação Monte Carlo, acusado de chefiar um esquema de jogo ilegal em Goiás.

Preso na mesma operação, Idalberto Matias de Araújo, o Dadá, é suspeito de trabalhar como um "espião" para a quadrilha a fim de conseguir informações sigilosas. Reportagem da edição desta quinta (5) do jornal “Folha de S.Paulo” informa que ele coordenou, segundo a PF, a montagem de um esquema de interceptação ilegal de emails.
De acordo com a Polícia Federal, Dadá tinha a missão de descobrir, por exemplo, o dia de uma operação para fechar casas de jogos ilegais. Mas, ao grampear Dadá, a polícia descobriu que ele também pode ter contratado um ex-policial para monitorar ilegalmente o email do deputado federal do PSDB.
Um relatório da PF mostra que, às 18h10 do dia 31 de janeiro deste ano, o policial aposentado Joaquim Gomes Thomé Neto liga para Dadá e diz: "É a mesma quantidade de ontem. O negócio parece ser importante".
Na análise de inteligência da PF, “a mesma quantidade” se refere à quantidade de mensagens de correio eletrônico interceptadas ilegalmente.
Fonte: G1

NOTICIAS DO RN

Autor & Editor

Somos a Agência de Notícias que há mais de uma década traz as principais Notícias do Rio Grande do Norte, Brasil e Mundo

0 comentários:

Postar um comentário

 
biz.