Governador de Goiás vem ao RN para "Pensar Natal"

Pré-candidato do PSDB para disputar a Presidência da República em 2014, o governador de Goiás, Marconi Perillo, vem ao Rio Grande do Norte neste sábado (22) para participar do projeto "Pensar Natal".
O gestor realizará uma palestra sobre políticas sociais, área em que teve acentuado destaque no seu Estado, onde possui uma série de programas neste setor. O evento será realizado no auditório do CTGás a partir das 9 horas.
Segundo o deputado federal Rogério Marinho (PSDB), idealizador do "Pensar Natal", o governador vem ao RN para "colaborar com sua experiência na área social e apresentar as soluções que deram certo no seu Estado".
Perillo também foi responsável pela ideia que deu origem ao Bolsa-Família. Primeiro, por ter implantado em Goiás, que também governou de 98 a 2006, o projeto Renda Cidadão, anos antes do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva chegar ao poder. O governador ainda criou o Bolsa Universitária e o Bolsa Futuro, entre outros, todos funcionando com êxito no seu Estado.
Além disso, foi Marconi Perillo que, em uma reunião com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, no início de 2003, sugeriu que todos os programas sociais do governo fossem unificados. A ideia deu origem ao conhecido Bolsa Família.
Único cidadão goiano a governar seu Estado por três vezes, Perillo também já foi deputado estadual e federal por Goiás. Bacharel em Direito, o governador recebeu os títulos de Doutor Honoris Causa pelas Universidades Federal e Estadual de Goiás.

NOTICIAS DO RN

Autor & Editor

Somos a Agência de Notícias que há mais de uma década traz as principais Notícias do Rio Grande do Norte, Brasil e Mundo

1 comentários:

  1. VEJA O QUE MARCONI PERILLO FEZ COM A UEG- UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS

    Janeiro – O governador Marconi Perillo viola o Parágrafo Primeiro do Art. 29 do Estatuto da UEG e faz intervenção demitindo arbitrariamente todos os Pró-Reitores da UEG. Esse parágrafo afirma que somente o Reitor pode indicar os seus Pró-Reitores.

    Fevereiro – Violando o Art. 59 (que diz “O Reitor e o Vice-Reitor da Universidade Estadual de Goiás serão eleitos, na mesma chapa”) e o Parágrafo Primeiro do Art. 29 do Estatuto da UEG O Governador indica uma mulher de seu partido para ser Vice-Reitora da UEG e todos os Pró-Reitores, também com origem em partidos políticos, e não por indicação do Reitor como acontece em todas as universidades públicas brasileiras.

    Março – De forma ILEGAL o governo cria uma Estranha Comissão para Fechar Unidades e Cursos da UEG. Essa Comissão contou com a participação de 05 órgãos: SECTEC, FAPEG, CASA CIVIL, CEE e UEG. A criação dessa comissão foi uma afronta à LDB. De acordo com o Inciso I do Art. 53 da LDB somente as Universidades podem propor a criação e o fechamento de cursos em sua sede. O mais lamentável foi que o CEE – Conselho Estadual de Educação que deveria zelar pelo cumprimento da LDB aceitou participar dessa Comissão ILEGAL.

    Setembro – Decidido a cassar o mandato do Reitor eleito e de 30 Diretores eleitos de Unidades da UEG, o governo, por meio da SEGPLAN e CGE, elaborou SECRETAMENTE um novo Estatuto para UEG para dar uma base jurídica para executar as suas vontades. Em 16 de setembro o Diário Oficial do Estado de Goiás publicou na íntegra o novo Estatuto da UEG por meio do Decreto Nº 7.441, de 08 de Setembro de 2011. Esse novo Estatuto é ILEGAL porque de acordo com o Inciso V do Art. 53 da LDB (Lei Federal Nº 9.394/96) somente as Universidades podem elaborar ou reformar seus Estatutos.

    VEJA OS 30 CURSOS QUE ESSA COMISSÃO ILEGAL QUER FECHAR NA UEG: Goiânia (Laranjeiras): Tecnologia em Gestão da Beleza, Trindade: Tecnologia em Redes de Computadores, Crixás:Pedagogia, São Miguel do Araguaia: Letras e Pedagogia, Goiás: Tecnologia em Turismo, Itapuranga: Geografia, História, Letras e Ciências Biológicas, Jussara: História e Letras, Porangatu: Sistemas de Informação, Uruaçu: História e Pedagogia, Goianésia: Sistemas de Informação, Pedagogia, História, e Administração, Itaberaí: Pedagogia, Jaraguá: Pedagogia, São Luiz de Montes Belos: Letras e Pedagogia, Sanclerlândia: Licenciatura em Informática, Luziânia: Pedagogia, Mineiros: Tecnologia em Produção Sucroalcooleira, Morrinhos: Ciências Contábeis, Itumbiara: História, Pires do Rio:Tecnologia em Rede de Computadores, Silvânia: Administração

    Resumo: O governo quer fechar esses cursos para cortar despesas. Nem os 2% de orçamento do estado que a UEG tem direito o governo cumpre. O Secretário Estadual da SECTEC vive difamando a UEG a toda hora dizendo que ela é a pior Universidade do Brasil, mas esquece de dizer que a UEG possui o pior orçamento do Brasil. E agora o governo, que não cumpre nem os 2% quer fechar esses cursos como forma de cortar gastos. Com isso muitos professores serão exonerados e a população dessas cidades ficará sem esses cursos.


    ADUEG - ASSOCIAÇÃO DOS DOCENTES DA UEG

    ResponderExcluir

 
biz.