Saúde: Carlos Eduardo e o risco iminente


Foto: Arquivo
Foto: Arquivo

Reaproveitar gestores de um governo reprovado não é nada bom.
Uma das primeiras decisões de um governante que não tem quadro suficiente para compor seu governo, é reaproveitar assessores de outros. Foi o que vimos no governo Rosa. Erra, categoricamente, o governante que o faz.
Primeiro, porque o povo espera algo novo. Segundo, porque o gestor que não deu certo no governo anterior, jamais irá se alinhar ao próximo. Quiça impossível, sua composição com o novo grupo.
É o caso do prefeito Carlos Eduardo, que está tentando recompor seu quadro, com gestores da ex-governadora. Se com ela nada evoluiu, imagine uma readequação. Além do mais, o desgaste foi muito grande, e isso deve pegar mal no quadro carlista, fazendo com que o prefeito fique desacreditado pela população.
Trazer uma célula quase morta de outra gestão é um risco que não deveria correr o prefeito Carlos, nesse momento tão delicado.
E o que o blog diz agora poderá ocorrer – ou não. Mas a probabilidade do resultado errado é imensa. O risco é demais. E arriscar agora seria seguro? Há um ano e poucos meses para o novo pleito eleitoral?
Bom para o adversário iminente que vem surgindo com toda a “força superior” possível por aí.
Quer uma dica melhor? Coloque também Betania Ramalho – de risco menor, na pasta da educação… e complete o time.
Time da…. (termine você a frase).
Por Marlio Forte

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Mortos em Alcaçuz pode superar Manaus

Morte trágica em Macau