Carlos Eduardo é derrotado por 24 votos a zero na Câmara Municipal

Vereadores de oposição e da base aliada desaprovaram o veto do prefeito Carlos Eduardo ao projeto do vereador George Câmara, do PC do B, objetivando regular a propaganda oficial no âmbito da administração municipal. O placar foi de 24 X 0 pela desaprovação, inclusive com voto contra ao veto do líder do prefeito, vereador Júlio Protásio, do PSB. Os vereadores Albert Dickson (PP), presidente da Câmara Municipal, Eudiane Macedo (PHS), Franklin Capistrano (PSB) e Bertone Marinho (PMDB), não votaram, mas justificaram a ausência e Aroldo Alves (PSDB), encontrava-se na Casa, mas teve que se ausentar no momento da votação para atender um correligionário.
Mesmo pertencendo à base aliada do Governo Municipal e sendo líder do prefeito, o vereador Júlio Protásio votou contra o veto e justificou sua posição externando duas razões para sua decisão: a primeira, por ter assumido compromisso na legislação passada com o vereador George Câmara, depois, por ter a certeza que a decisão não trará nenhum prejuízo, já que, segundo ele, o município respeita a lei federal no sentido de estabelecer regras desvinculando a pessoa física (autoridade ou servidor público) dos atos realizados pelo Poder Executivo, evitando assim, a publicidade autopromocional. “Por coerência e por entender não haver prejuízo para a Prefeitura de Natal decidi cumprir o compromisso assumido com George Câmara”, ressalta o líder.

AUTOR DO PROJETO
De acordo com o vereador George Câmara, a desvinculação da pessoa física (prefeito (a) da cidade) dos atos proferidos pelo executivo, impede abusos e excessos econômicos nocivos ao bom exercício da administração pública. Para George, os princípios da legalidade, moralidade, impessoalidade e eficiência previstos na Constituição Federal que o projeto de lei defende, devem ser constantes nos princípios e valores do trabalhador público municipal, seja ele prefeito, vereador ou servidor. “Além de cessar com a autopromoção pessoal do gestor, o projeto também vincula a propaganda pública aos símbolos municipais e repercute positivamente na economia do erário municipal. Foi um passo importante dado por esta Casa, que moraliza as ações e a atuação do Poder Público Municipal”, conclui entende George Câmara.

Felipe Alves: “Estamos dando uma resposta à sociedade”
Vereadores de todos os partidos com representatividade na Câmara Municipal de Natal declaram voto e assim se expressaram sobre o projeto do vereador George Câmara. Marcos Antonio (Psol): “não há argumentação política nem jurídica para não derrotar o veto”. Jacó Jácome (PMN): “o projeto de George é audacioso e moraliza a aplicação dos recursos públicos”. Sandro Pimentel (Psol): “o discurso está lincado a ações do cotidiano. O vereador Júlio Protásio foi coerente e parabenizo o vereador George Câmara pela iniciativa e por ter tido uma visão de Estado A lei é para garantir publicidades educativas e não personalista”. Amanda Gurgel (PSTU): “a população está indignada com a mudança de cores patrocinada por gestores que se sucedem nos cargos”. Maurício Gurgel: “o projeto de George Câmara é moralizador, daí eu ter votado pela derrubada do veto”.
Hugo Manso (PT): “não deve haver autopromoção. A derrubada do veto é um ato de afirmação da Câmara Municipal de Natal”. Felipe Alves (PMDB): “Estamos dando uma resposta à sociedade baseados no princípio da impessoalidade”. Júlia Arruda (PSB): “o projeto de George Câmara moraliza a administração pública”. Marcos Antonio (Psol): “a lei acabará com mazelas políticas ainda existentes”. Luiz Almir (PV): “reconheço a posição firme do vereador Júlio Protásio e entendo que o projeto é bom para a sociedade”. Aroldo Alves (PSTU): “a Câmara firma-se a cada dia diante da sociedade dando demonstração de independência e seriedade. O projeto de George é bom e deve ser executado”. (JP)
Jornal de Hoje

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Mortos em Alcaçuz pode superar Manaus

Morte trágica em Macau