BALNEABILIDADE: Estudo revela seis praias impróprias para o banho

A população e os turistas da Copa das Confederações que, porventura, quiserem dar um pulinho por aqui para mergulhar no litoral potiguar, nesta semana, devem ter atenção. 
O mais recente balanço de análise das águas do litoral, o resumo do boletim nº 24/2013, divulgado hoje (14) pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte revela má qualidade da água em 20% das praias monitoradas pelo Programa Água Azul. São elas: Pirangi do Sul, Ponta Negra (nos pontos do Morro do Careca, acesso principal e no final do calçadão), Via Costeira (Barreira D’água), Areia Preta (Praça da Jangada) e Redinha (Rio Potengi).
Essas localidades foram consideradas inadequadas ao banho por apresentarem mais que 1000 coliformes, para cada 100 ml de água coletada. De acordo com o professor Ronaldo Diniz, coordenador do programa, as recentes chuvas e vazamentos de esgotos são os principais responsáveis pela piora nas condições de balneabilidade das praias do estado.
As amostras foram coletadas nesta semana em trinta pontos monitorados semanalmente no litoral do Rio Grande do Norte, entre Nísia Floresta, Parnamirim, Natal, Redinha e Extremoz.
O estudo, realizado numa parceria entre o IFRN e Idema, faz parte do programa Água Azul, e analisa as amostras com base na determinação do Conselho Nacional do Meio Ambiente, o Conama. Para o programa, os dois órgãos contam com a colaboração de instituições parceiras, como Governo do Estado, através da Secretaria de Recursos Hídricos, Idema, Igarn, Emparn, UFRN e Ufersa.

Comentários

Popular Articles

Mortos em Alcaçuz pode superar Manaus

Morte trágica em Macau