Rússia expulsa diplomata norte-americano após escândalo de espionagem

Photo

MOSCOU, 14 Mai (Reuters) - A Rússia declarou "persona non grata" nesta terça-feira um diplomata dos EUA acusado de tentar recrutar um oficial da inteligência russa e determinou que ele deixe o país.
"Ações provocativas como essas no espírito da Guerra Fria não promoverão de forma alguma os fortalecimento de confiança mútua", disse o Ministério de Relações Exteriores depois de a agência de segurança russa ter informado que flagrou um funcionário da CIA tentando recrutar um agente russo para que colaborasse com os EUA.

O anúncio ocorre dias depois de uma visita do secretário norte-americano de Estado, John Kerry, à Rússia, ocasião em que os dois governos anunciaram a intenção de realizar uma conferência de paz com a Síria.

O Serviço Federal de Segurança disse que Ryan Fogle, terceiro secretário da embaixada dos EUA em Moscou, foi detido durante a madrugada com um "equipamento técnico especial", um disfarce, uma grande quantia em dinheiro e instruções para recrutar seu alvo.

A FSB, agência russa de inteligência, disse que Fogle trabalhava para a CIA, e que foi entregue a funcionários da embaixada algum tempo depois de ser detido. O embaixador norte-americano Michael McFaul foi convocado mais cedo pela chancelaria russa para prestar explicações.

Por Steve Gutterman
REUTERS

NOTICIAS DO RN

Autor & Editor

Somos a Agência de Notícias que há mais de uma década traz as principais Notícias do Rio Grande do Norte, Brasil e Mundo

0 comentários:

Postar um comentário

 
biz.