Certeiro: Pesquisa da Smart comprova satisfação de foliões e turistas com o carnaval em Macau


Um sucesso, que superou as expectativas e surpreendeu positivamente boa parte dos foliões. É assim que a Prefeitura de Macau está avaliando os dias de festa na cidade baseado não só em uma análise da alegria do povo durante as festas, mas também em uma pesquisa do Instituto Smart. A pesquisa foi divulgada nesta terça-feira, pela gestão municipal, e entre os números que se destacam estão os da avaliação dos foliões. Quase 68% disseram ter “gostado” da folia e outros 29% revelaram ter ficado “surpreendidos positivamente” com a festa.

E não foi só. Mais de 80% dos pesquisados afirmaram achar “bom” ou “ótimo” as atrações musicais da cidade, os serviços de limpeza, a segurança pública, a divulgação do evento e a infraestrutura do evento. Além disso, foi possível constatar, segundo previa o prefeito Kerginaldo Pinto, do PMDB, que a festa iria mesmo alavancar a economia da cidade.
Por sinal, entre os principais atrativos do carnaval de Macau estão o famoso “mela-mela”, que foi um “ponto positivo” da festa para 18% dos foliões, a segurança (para 15%) e as festas gratuitas, realizadas nas ruas da cidade (para 12%).
TURISTAS
A maioria das pessoas pesquisadas estava em Macau para o carnaval, mas moram em outras cidades. Natal foi a origem de boa parte dos foliões: 61,87% disseram ser da capital, contra apenas 7,57% responderam morar em Macau mesmo. Mossoró, Fortaleza, João Câmara, Recife e Parnamirim também eram as cidades de origem de boa parte dos turistas.
A pesquisa apontou também que boa parte dos foliões já havia passado o carnaval lá em anos anteriores. Metade passou o carnaval de 2012 na cidade. Outros 16% tinham “curtido” Natal no ano passado. Pendências, Touros, Fortaleza e Recife foram outros destinos que os foliões de Macau curtiram no ano anterior.
Tanto foi assim que, segundo a pesquisa, mais de 75% dos foliões deste ano afirmaram que já conheciam Macau de outros carnavais. Contudo, a festa, por ser uma das únicas a atrair grandes investimentos públicos, conseguiu ter um público de quase 25% de pessoas que visitavam a cidade pela primeira vez.
Por sinal, o carnaval conseguiu fidelizar boa parte dos foliões que aproveitaram a festa na cidade. Segundo a pesquisa, 92,8% pretendem voltar no próximo ano. Outros 96,41% afirmaram que vão recomendar o carnaval da cidade para amigos e familiares. Por sinal, esse dado se torna importante baseado no fato que a forma de divulgação do carnaval de Macau é, principalmente, o famoso “boca a boca”, visto que as pessoas ficam sabendo das festas da cidade graças as informações passadas por amigos e familiares, sobretudo.
Instituto atesta viabilidade econômica da folia na cidade
Houve alguns questionamentos a respeito do alto valor que a Prefeitura de Macau, por meio do prefeito Kerginaldo Pinto, do PMDB, estava gastando com o carnaval da cidade. Afinal, foram R$ 4 milhões, enquanto boa parte das cidades do Rio Grande do Norte cancelava os festejos devido à situação de calamidade devido à seca. Contudo, agora, após a folia, é possível confirmar que o carnaval de Macau foi sim viável economicamente e, com isso, já se pode planejar as próximas festas, inclusive, com investimentos também privados e do Ministério do Turismo.
Isso, porque segundo a pesquisa do instituto Smart, cada folião que passou em Macau durante o carnaval gastou, em média, R$ 474,98. Como a Prefeitura acredita, com base em dados da Polícia Militar, que a folia atraiu cerca de R$ 300 mil pessoas, é possível calcular que pode ter sido movimentado na economia local mais de R$ 100 milhões.
Claro que o valor, aparentemente, não chegou a tanto. Contudo, superou sim, e muito, a previsão de movimentação de quase R$ 20 milhões na economia, feita pelo prefeito da cidade, Kerginaldo Pinto, ao justificar o valor investido na festa aberta ao povo de Macau – e aos turistas de outras cidades.
Com relação aos turistas, inclusive, há de se ressaltar que, segundo a pesquisa, cerca de 45% dos foliões ficaram hospedados na casa de familiares ou amigos e outros 35% ficaram em residência alugada, movimentando também o mercado residencial da cidade, e não apenas o de serviços e lazer.
“O carnaval de Macau mostrou sim ser viável como instrumento econômico, como um produto que pode ser oferecido ao mercado”, afirmou o sociólogo Tadeu Oliveira, diretor do Instituto Smart. Segundo ele, inclusive, a realização da pesquisa já mostra o grau de comprometimento da Prefeitura local com a realização de uma festa positiva. “Com a contratação de uma pesquisa, o gestor mostra estar preocupado com a satisfação daqueles que vão a festa. Afinal, por meio dela, é possível saber onde investir, que ponto melhorar, o que agrada, o que não agrada”, exemplificou Oliveira.
A pesquisa foi feita com um público 57% homem e 42% mulher. Cerca de 50% dos foliões eram funcionários de empresas privadas, 22% autônomos, 20% estudantes ou desempregados e 11% funcionários públicos. A metade dos pesquisados estava em idade entre 30 e 59 anos e quase 40% entre os 19 e os 29 anos, mostrando que o público é bastante jovem no carnaval. Mais de 45% dos entrevistados pela Smart recebem entre um e três salários mínimos e 14% entre três e cinco salários mínimos. Foram 500 pessoas ouvidas.
Com base nesses números e na avaliação do diretor da Smart, a Prefeitura de Macau agora trabalha para nos próximos anos se aliar a parceiros na realização das festas. O objetivo é a captação de recursos, tanto do Ministério do Turismo, quanto de empresas, como as de telefonia ou bebida. Dessa forma, é será possível tornar o carnaval da cidade ainda mais tradicional e resultar em novos investimentos para a população local.
JORNAL DE HOJE

NOTICIAS DO RN

Autor & Editor

Somos a Agência de Notícias que há mais de uma década traz as principais Notícias do Rio Grande do Norte, Brasil e Mundo

1 comentários:

  1. "O Pinto deu uma bicada certa"


    É claro que o carnaval de Macau é um evento tradicional na cidade e que atrai recursos, isso não há dúvida. Discordo apenas do nº de foliões falado na pesquisa e no valor de recursos que estimam haver circulado na cidade.

    Quanto à iniciativa da pesquisa, parabenizo o Prefeito, Kerginaldo Pinto, pela atitude inteligente. Pois, daí em diante, fica mais fácil programar o evento e angariar recursos na esfera federal, estadual e privada com uma possível redução dos gastos por parte da prefeitura, isso e que importa, não onerar tanto os cofres do município com uma festa que tem viabilidade econômica.

    Isso que eu vinha criticando e forçando uma tomada de atitude por parte do gestor, por entender que há maneiras de diminuir os gastos com o dinheiro público para que possa se investir no social e no desenvolvimento da cidade.

    Espero que, de fato, o Prefeito possa utilizar esses dados e planejar o próximo carnaval buscando na esfera federal, estadual e na iniciativa privada recursos para promover o evento desonerando os gastos públicos municipais. É isso, vamos ficar de olho.

    ResponderExcluir

 
biz.