OAB/RN na intermediação das negociações para o fim da greve dos médicos

O presidente da OAB/RN, Paulo Eduardo Teixeira, recebeu o presidente do Sindicato dos Médicos do Rio Grande do Norte, Geraldo Ferreira, na tarde de hoje (24) na Seccional Potiguar, para iniciar intermediação nas negociações entre Governo e Sindicato para o fim da greve dos médicos, que dura mais de 80 dias. Na oportunidade, estiveram presentes a presidente da Comissão de Saúde da OAB/RN, Elisângela Fernandes e a vice-presidente da Comissão Especial de Direito Sanitário e Saúde da OAB nacional, além do tesoureiro do Sinmed, Manoel Marques Melo, e a advogada do sindicato Júlia Jales.
Geraldo Ferreira enfatizou que o Sinmed não aceita as condições de trabalho que os médicos estão sendo submetidos e que se faz necessário reajuste salarial para a categoria. "Alojamento coletivo no Walfredo, camas quebradas e sem lençóis, médicos compram água para beber, entre outros pontos. Estamos em greve, mas o atendimento continua até porque muita coisa já é negada ao paciente", disse. Conforme Geraldo, a proposta de reajuste é um aumento de 7% no salário e 22% em gratificação para quem está na ativa no Estado.

Outra questão abordada foi o ponto eletrônico. Segundo o presidente do Sinmed, a exigência é uma despersonalização do atendimento, ou seja, a responsabilidade do profissional acabaria quando se batesse o ponto de saída. Já em relação ao decreto de calamidade, disse que o problema no atendimento público da saúde é crônico e não sabe até que ponto o estado de calamidade vai resolver a problemática. Disse, ainda, que Natal tem a necessidade de outro hospital com 400 leitos.

Paulo Eduardo ressaltou que o pedido para a OAB/RN intermediar partiu do Governo do Estado, bem como de que a Ordem não abre mão da transparência em favor da população. A próxima ação da OAB/RN será uma reunião agora com a participação de representante do Governo.

NOTICIAS DO RN

Autor & Editor

Somos a Agência de Notícias que há mais de uma década traz as principais Notícias do Rio Grande do Norte, Brasil e Mundo

0 comentários:

Postar um comentário

 
biz.