Justiça Federal do RN reconhece Ipad como bem de uso pessoal

Em causa inédita, o Juiz Federal da 3ª Vara do Rio Grande do Norte Marco Bruno Miranda Clementino concedeu sentença favorável ao advogado Erick Pereira em causa impetrada contra a Fazenda Nacional. A ação civil é a primeira no estado sobre recolhimento de impostos com causa ganha pela cobrança indevida referente ao equipamento da empresa Apple chamado de Ipad.

O advogado e sua esposa conquistaram a restituição de imposto de importação pago por dois Ipads, trazidos como bens de uso pessoal após uma viagem ao exterior. "assim como uma máquina fotográfica ou um relógio, nada é mais pessoal do que os chamados Ipads independentemente da resolução da Receita Federal obrigar a taxação desses eletrônicos", disse o advogado.
No entendimento da Fazenda Nacional, os importados tinham outro fim que não o uso pessoal ao que discordou o juiz. "É incontroverso o fato de que os eletrônicos portáteis trazidos pelos autores estão inseridos no conceito de bagagem, sendo destinados para uso próprio, sem fins comerciais", registrou a sentença de primeiro grau.
Com a decisão, os dois aparelhos eletrônicos ficam enquadrados na isenção tributária prevista no art. 32 da IN RFB 1.059/2010 e art. 6° da Portaria MF 440/2010, sendo indevida a cobrança. A Fazenda Nacional foi condenada a restituir os valores indevidamente cobrados.

Com informações da Assessoria de Imprensa

NOTICIAS DO RN

Autor & Editor

Somos a Agência de Notícias que há mais de uma década traz as principais Notícias do Rio Grande do Norte, Brasil e Mundo

0 comentários:

Postar um comentário

 
biz.