Sistema penitenciário do RN dá novas provas de falência


Tarde de terror em Alcaçuz mostra caos do sistema penitenciário do RN

Os agentes penitenciários do Rio Grande do Norte continuam enfrentando a falta de condições de trabalho e a insensibilidade do Governo do Estado, que ainda não acenou com nenhuma proposta para iniciar a negociação esperada pela categoria, que também espera um reajuste salarial de 45 por cento. São 902 homens e mulheres que, diariamente, desempenham suas funções em locais insalubres, sujos, destruídos pelas constantes revoltas dos apenados, como as que ocorreram na manhã desta quarta-feira (14) no Presídio Estadual de Parnamirim e à tarde na Penitenciária Estadual de Alcaçuz, em Nísia Floresta, projetada para abrigar 420 detentos e hoje comporta 700.



          O clima ficou tenso durante toda a tarde, em Alcaçuz. Presos que estavam no pavilhão da "Adaptação" (onde ficam os novatos no sistema prisional), porque haviam escavado um túnel no Pavilhão 4, no sábado passado, se rebelaram, arrombaram grades, espancaram um colega e só se acalmaram com a chegada do Grupo de Operações Especiais (GOE), formado por agentes penitenciários, que compram armas, munições, coletes balísticos e uniformes para poderem atuar, e após a transferência da maioria para o setor de origem, que já teve o buraco fechado.



          Enquanto agentes penitenciários davam tiros com munição de borracha para tentar conter a ira dos presos da "Adaptação", os apenados do Pavilhão 1 ateavam fogo em colchões e gritavam que "ia morrer muita gente". O Corpo de Bombeiros foi acionado, mas ao chegar o fogo já havia sido apagado e os bombeiros militares trabalharam nos primeiros socorros ao preso espancado e a outro que se feriu na mão e braços esquerdos durante a confusão.


          A imprensa teve acesso ao presídio e registrou as cenas de terror vividas pelos agentes penitenciários, detentos e suas companheiras que os visitavam. Uma comissão foi à Assembleia Legislativa, liderada pela vice-presidente do Sindicato dos Agentes e Servidores do Sistema Penitenciário, Vilma Batista da Silva, pedir apoio aos deputados para que a negociação com o Governo do Estado ocorra o mais rapidamente.


          O presidente do Sindasp, Alexandre Medeiros, acompanhou tudo que aconteceu em Alcaçuz e disse que a rotina da sua categoria é viver daquele jeito, sob forte clima de tensão, administrando crises e temendo que, a qualquer momento, uma tragédia possa acontecer, caso os detentos consigam arrombar todos os pavilhões, o que não difícil acontecer diante da destruição na estrutura de todos eles, e venham a ser contidos pelos agentes penitenciários. Não existe nenhum reforço policial na Penitenciária de Alcaçuz. Nesta quarta-feira, até agentes penitenciários que estavam de folga foram trabalhar, como forma de prestar solidariedade aos colegas.    


          Um dos momentos mais tensos da tarde desta quarta-feira (14) foi quando nove detentos quiseram sair da "Adaptação" e precisaram passam por um estreito espaço entre dois elementos de concreto armado. Eles choravam quando conseguiam passar e agradeciam aos agentes penitenciários, que os protegeram de um possível ataque de rivais. Um dos presos só passou porque outro, usando uma marreta, quebrou parte da alvenaria, para facilitar o acesso.


          Alexandre Medeiros explicou que a categoria continua esperando uma sinalização do Governo do Estado. Caso nenhuma proposta que atenda, pelo menos parcialmente as reivindicações do grupo, seja feita, os agentes penitenciários entrarão em greve neste sábado (17), piorando ainda mais o caótico quadro do sistema prisional potiguar, que está falido e esquecido pelas autoridades do poder executivo.

NOTICIAS DO RN

Autor & Editor

Somos a Agência de Notícias que há mais de uma década traz as principais Notícias do Rio Grande do Norte, Brasil e Mundo

1 comentários:

  1. O primeiro passo a ser realizado é fazer com que os Agentes Penitenciários do Estado do RN conheçam a palavra "EMPATIA" e a use em todos os momentos de sua vida, seja ela pessoal e/ou profissional;
    Depois que os Agentes aprenderem o que significa e, fazer uso da EMPATIA, ensinar-lhes que existe a Dignidade da Pessoa Humana e também as leis e códigos existentes no Brasil, exclusivamente ensinar-lhes que constrangimento, abuso de poder, humilhação, ameaça, piadinhas, dentre outros existentes no comportamento profissional dos Agentes Masculinos e Femininos nos dias de Visitas Íntima e Social, não existem em nenhuma das Leis, Códigos e/ou Estatutos Prisionais Brasileiro;
    Oferecer e, se necessário, exigir que os Agentes tenham atendimennto Psicológico e Social, como também tenham Capacitação Profissional pelo menos a cada 2 (dois) anos e, caso o Agente não tenha se adaptado ou respondido à Capacitação, Atendimento Psicológico ou Social, exonerá-lo do cargo e, depois do quadro de Funcionários Públicos do Estado do RN. Não só para os Agentes Penitenciários, mas também para a Guarda que faz a segurança dos presídios, seja ela, BOPE, CHOQUE, GTO.
    Disponibilizar e colocar como Regras do Sistema Penitenciário do RN, Educação Física no horário da Manhã e Ensino Primário, Fundamental e Médio, no horário da tarde, 5 (cinco) dias por semana, seguindo o Calendário Estadual de Educação(com aulas de verdade, aplicação de provas, atividades avaliativas, etc., e depois de concluído o nível estudado receber o Certificado de Conclusão), sendo liberado apenas nos dias das Visitas Íntimas e Social(sábado ou domingo), dessa forma, o Interno ficará cansado mentalmente e fisicamente, ainda tendo que fazer as atividades à noite, antes de dormir, para entregar no dia seguinte ao professor;
    Disponibilizar Cursos Técnicos Profissionalizantes para aqueles que já possuem o Nível Médio de escolaridade, despertando assim, o interesse dos outros internos de estudarem também;
    Entrar em acordo com o Tribunal de Justiça para que faça uso das Penas e Medidas Alternativas, incluindo-os em todas as repartições do Estado e Municípios do RN, dessa forma, diminuindo os gastos dos Cofres Públicos com Empresas Terceirizadas;
    Já seria um bom início se a SEJUC, COAPE, CONSELHO PENITENCÁRIO e MINISTÉRIO PÚBLICO do RN, abrissem os olhos para ver a realidade como ela é e, só não buscassem mas, lutassem por verbas e convênios, pelo menos para começar, não se esquecendo que dispomos de Universidades Federais, Estaduais e o IFERN, além das Universidades Particulares e dos Acadêmicos de todas as áreas que precisam do Estágio Extra Curricular.
    Eu acredito que todo homem é maior do que o seu erro. Nós somos seres humanos e todos nós temos nossas falhas mas, também temos o direito de recomeçar.

    Kell

    ResponderExcluir

 
biz.